terça-feira, julho 15, 2008

Uma noite debaixo da figueira...

"Num dia de Verão quente, em tempos de praia, optava por ficar a escutar histórias reais que o avô lhe contava. Eram histórias que para José não tinham fim. Eram histórias como o ∏, não terminavam.
O avô e o José numa noite em que a lua parecia que sorria para eles decidiram ir dormir debaixo da antiga e alta figueira. O avô contou-lhe um dos milagres de Deus, mas José acabou por adormecer.
No dia seguinte José acordou só. Só com a figueira atrás de si. Arrumou o saco-cama e com a barriga vazia foi tomar o pequeno almoço com a avó e falou-lhe sobre os pesadelos que teve.
Se eu lhe contava algum mau sonho nascido das histórias do avô, ela sempre me tranquilizava " não faças caso em sonhos não há firmeza".
Pensava então que a minha avó, embora fosse também uma mulher muito sábia, não alcançava as alturas do meu avô, esse que, deitado debaixo da figueira, tendo ao lado o neto José, era capaz de pôr o universo em movimento apenas com duas palavras."

José Saramago, na entrega do Nobel da Literatura (07/12/98)


Sem comentários: