segunda-feira, maio 30, 2011

Gentes de outros lugares

Porque a fotografia amadora é uma das minhas paixões...
E como fotografar gentes de outros lugares, gentes nas suas rotinas diárias, apanhadas por um click atento da minha objectiva, se pode revelar interessante...

sábado, maio 28, 2011

Dias sim e não*


Há momentos em que a vida nos reserva dias de sim e de não.
Há momentos que somos mais lentos que o nosso próprio raciocínio e pensamento.
Há momentos em que a vida nos dá mais nãos do que sins, sem prever o modo como nos pode afectar...
Ando de coração brando...

domingo, maio 22, 2011

Vem por aqui*


Vem por aqui" - dizem-me alguns com olhos doces,
Estendendo-me os braços, e seguros
De que seria bom se eu os ouvisse
Quando me dizem: "vem por aqui"!

Eu olho-os com olhos lassos,
(Há, nos meus olhos, ironias e cansaços)
E cruzo os braços,
E nunca vou por ali...

A minha glória é esta:

Criar desumanidade!

Não acompanhar ninguém.

- Que eu vivo com o mesmo sem-vontade

Com que rasguei o ventre a minha mãe.

Não, não vou por aí!

Só vou por onde

Me levam meus próprios passos...

Se ao que busco saber nenhum de vós responde,

Por que me repetis: "vem por aqui"?

Prefiro escorregar nos becos lamacentos,

Redemoinhar aos ventos,

Como farrapos, arrastar os pés sangrentos,

A ir por aí...

Se vim ao mundo, foi

Só para desflorar florestas virgens,

E desenhar meus próprios pés na areia inexplorada!

O mais que faço não vale nada.

Como, pois, sereis vós

Que me dareis machados, ferramentas, e coragem

Para eu derrubar os meus obstáculos?...

Corre, nas vossas veias, sangue velho dos avós,

E vós amais o que é fácil!

Eu amo o Longe e a Miragem,

Amo os abismos, as torrentes, os desertos...

Ide! tendes estradas,

Tendes jardins, tendes canteiros,

Tendes pátrias, tendes tectos,

E tendes regras, e tratados, e filósofos, e sábios.

Eu tenho a minha Loucura!

Levanto-a, como um facho, a arder na noite escura,

E sinto espuma, e sangue, e cânticos nos lábios...

Deus e o Diabo é que me guiam, mais ninguém.

Todos tiveram pai, todos tiveram mãe;

Mas eu, que nunca principio nem acabo,

Nasci do amor que há entre Deus e o Diabo.

Ah, que ninguém me dê piedosas intenções!

Ninguém me peça definições

! Ninguém me diga: "vem por aqui"!

A minha vida é um vendaval que se soltou.

É uma onda que se alevantou.

É um átomo a mais que se animou...

Não sei por onde vou,

Não sei para onde vou,

- Sei que não vou por aí.

___________________________

José Régio, Poemas de Deus e do Diabo
(José Régio in Cântico Negro)

sábado, maio 21, 2011

Das nossas mãos...

Das minhas mãos, um quilt para o Tomás, pronto a ser usado dos dois lados.

Directamente das mãos da minha mãe. Broa de trigo e de milho acabadinha de preparar. O cheirinho a pão quente inundou a casa.

E agora directamente do forno para o meu pequeno almoço: café com leite quente e pedacinhos de broa nham, nham.

E mais uma foto, agora com 31 semanas de gravidez, apesar de algumas manchas no velho espelho :)

sexta-feira, maio 20, 2011

E que me seja permitido usar o verbo blogar...


Aqui há dias, alguém me perguntou porque razão é que eu tinha um blog e escrevia coisas minhas mais ou menos pessoais, colocava fotos e outros afins. Entendi essa questão como uma forma meia pejorativa de me indagar acerca do meu blog. Na altura confesso que balbucionei algumas palavras meias sem sentido e fiquei a pensar que deveria de escrever um post acerca deste assunto.
Inicialmente, a escrita deste blog surgiu pela necessidade de lidar de forma diferente com as minhas emoções, porque me apeteceu partilhar um pouco do eu, porque sempre gostei de escrever, porque havia alturas em que me apetecia desabafar, afastar a solidão que sentia... E assim pouco aos poucos foi surgindo o Retalhos da Memória, que já tem sete anos de existência (ufa! nem tinha dado conta que já tinha passado tanto tempo!) e começou como que um registo de histórias situações quotidianas inspiradas nas memórias boas ou más que a vida nos trás e que de algum modo vão constituindo os retalhos da nossa memória, ou seja, as lembranças e memórias pelas quais somos todos os dias invadidos. De modo algum, houve pretensão deste blog pertencer a este ou àquele nicho, de se parecer com um outro blog dos imensos que andam por aí e que também eu assim como outros leitores gostamos de ler. Pelo contrário, pretendeu ser algo meu, e que fique claro, que o mundo dos blogs é como uma imensa janela que abrimos todos os dias em nossas casas e no entanto, não conseguimos ver, iria até mais longe utilizando o verbo "espiar" tudo o que a casa tem, apenas o que aquela janela nos permite ver. Por aqui, é igual, apenas permito ver aquilo que quero deixar ver, se há dias em que transpareço mais os meus pensamentos e afectos, é como sou, é como quero que me vejam. Assim como não julgo também não gosto de ser julgada pelo que escrevo ou fotos que publico aqui no meu blog, O que aqui escrevo, publico é algo apenas da minha responsabilidade. E que fique claro que quem vier aqui por bem será sempre acolhido de braços abertos, quem não gosta, que vá até outras paragens, porque de algum modo, a"janela do meu blog" ser-lhes-à certamente fechada.
Por isso continuarei por aqui a escrever sobre o quero ou me apetece, sem peso nenhum na minha consciência...
Fiquem bem!

sexta-feira, maio 13, 2011

Tomás*




30 semaninhas de ti

Neste momento estás com 1,650kg de peso.

quarta-feira, maio 11, 2011

segunda-feira, maio 09, 2011

2ª feira*


O tempo têm sido escasso para vir postar, aliado a isso junta-se uma enorme preguiça que começa a ser avassaladora, mas que pelos vistos é normal, no meu estado de graça, dizem-me as entendidas no assunto.
Esta semana começa de uma forma diferente, organizar a casa depois de algumas mudanças que tiveram de ser realizadas para arranjar e o espaço para montarmos o quarto do Tomás, que vai ficar dividido em atelier e quarto de bebé. Por isso vai ser uma semana de organização de tarefas pendentes já algum tempo. Mas fica a promessa, que certamente o quarto do T. irá ficar pronto está semana e acreditem que temos muito ainda que ultimar e o tempo esse continua a voar.
Estamos com 29 semanas e 4 dias. Os movimentos fetais do bebé estão bem e cada vez mais apurados e sentem-se todos os dias e quase a todas as horas, chego mesmo a acordar de madrugada com as suas cambalhotas, xutos e cotoveladas dentro da barriga, mas tudo isto é uma sensação única e faço um esforço por aproveitar cada momento cada movimento, como que se o quisesse reter eternamente na minha memória. Esta semana temos mais uma data de análises e ecografias para fazer.


Assim do fim de semana ficam uma data de coisas para fazer, porque as mudanças deram origem a um almoço e jantar alongado, uma viagem até casa dos pais do H., no sábado com o regressar a casa a meio da noite de domingo:

- casa para limpar;
- máquina de louça cheia para colocar a lavar;
- roupa para lavar;
- roupa para passar a ferro;
- flores para serem colocadas em jarras (tenho de comprar uma jarra mais larga e alta);
- almoço e jantar para preparar;
- uma parede a precisar de ser lavada;

- e ainda me apetece fazer uma pequena caminhada para apanhar ar (sinto-me enclausurada dentro do apartamento);

- fazer lista de compras;

- despejar o saco dos recuperáveis no ecoponto


- ...

Ufa o dia vai parecer interminável com tantas tarefas. Deixo-vos algumas ideias e inspirações, para que tenham uma semana recheada de pequenos prazeres, fiquem bem!

Algumas ideias e inspirações por aqui:

*Aproveitar restinhos de tecidos.

* Um blog sobre pão e fermentação.

* Atelier para crianças.

* Ideias divertidas e inspiradoras.

* Design.

* Diário de uma família nortenha.

* Cozy

* Detalhes

* As rotinas de outros.


Tenho sentido o mundo da blogosfera um pouco mais parado do que o habitual, até o número de comentários e visitas tem reduzido, será que o blog perdeu o interesse, ou será que anda tudo por outras paragens?!

quarta-feira, maio 04, 2011

4 anos e 1 mês de nós

O amor manifesta-se na maioria das vezes, em vida, em lembranças, gestos e até palavras:

"E é amar-te, assim, perdidamente...
É seres alma, e sangue, e vida em mim
"



E neste nosso dia, a vida cresce dentro de mim!


segunda-feira, maio 02, 2011

Vida *


Há acontecimentos que surgem nas nossas vidas, para nos lembrar que a vida não é mais do que uma passagem, que há valores mais importantes, como o amor, a amizade, a verdade, a lealdade que se deveriam de sobrepor a outros bem menos essências. Mas a realidade da vida, é bem diferente! Vivemos numa selva em que cada um tem de lutar pela sua sobrevivência, e em que a maioria não olha a meios para atingir os seus fins, calcando espezinhando quem está a sua volta...

Mas como o ser humano é tão pequeno, nesta relação de vida e morte...Hoje recebi a notícia de uma morte inesperada e que me deixou de coração apertado e que me fez repensar mais uma vez no sentido em que quero dar à minha vida, que valores quero para mim, para os meus e especialmente para o pequeno ser que carrego dentro de mim... Isto serve apenas para nos abanar e dizer que temos de parar e repensar que caminho escolher, porque a vida passa num ápice e às vezes quando dá-mos por ela, já é tarde demais...

"...
morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz com o seu trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho, quem não se permite pelo menos uma vez na vida a fugir dos conselhos sensatos
..." (Pablo Neruda)

N.B.: Estamos com 28 semanas de amor incondicional!

domingo, maio 01, 2011

Deitar cedo e cedo erguer, dá saúde e faz crescer*


Há dias em que me sabe bem levantar cedo. Outros há em que naturalmente acordo mais cedo do que devia e não há maneira de conseguir voltar a adormecer.
Quando tenho dias destes, tento aproveitar o silêncio da manhã pela casa e pela rua o melhor possível, pois quem vive numa avenida movimentada, poucas são as alturas em que se conseguem sentir este silêncio. De onde a onde ecoam os pássaros e as gaivotas, sente-se o vento percorrer nas folhas das árvores, o cheiro ao molhado da terra, embora não tão intenso como noutras paragens. Por companhia tenho os meus gatos que também adoram desfrutar deste silêncio e que insistem em partilhar comigo a janela e receber a brisa da madrugada como se não houvesse outro amanhã.
Coloco a leitura dos meus blogs , em dia e vou descobrindo outros, como este, este e este que passam a ser uma referência para mim.
Descubro, que o meu silêncio é interrompido pela vizinha de cima, que é extremamente barulhenta!
Faço um stop neste post para tomar o pequeno almoço pois já sinto um ratinho no estômago. Nunca o pão com manteiga me soube tão bem, acompanhado de uma chávena de leite quente com um leve toque de café instantâneo, pois os sabores da minha gravidez, ainda não me permitem desfrutar do café como o fazia antigamente. Leonard Cohen -Dance to me to the end of love - acompanha-me no meu pequeno almoço.

Tenho de providenciar umas visitas a uns museus, exposições, idas a feiras de velharias e uns passeios pelo parque, sinto falta do contacto com a natureza e com a cultura.
Vou ver se coloco algumas tarefas de domesticidade em ordem e a ver se consigo dedicar um bocadinho às costuras que tenho em mãos. A ver vamos porque depois da enxaqueca de ontem e da noite mal dormida, palpita-me que vai haver sesta!