quarta-feira, novembro 07, 2012

Novembro, e ventos de mudança

Saudades de escrever neste meu pequeno mundo, onde partilho tanto de mim, com quem me quer ler...
Uma paragem forçada por causa de una contratura muscular, três dias parada sem poder fazer grandes esforços...


Por cá as coisas vão andando, entre o trabalho, a organização da nova casa. Pelo terraço começam a rebentar os primeiros bolbos das flores de inverno, as ervas aromáticas estão mais bonitas, pois têm o privilégio de crescer ao ar livre.
O tempo passa a correr e já estamos no mês de novembro a entrar em contagem regressiva para a época natalícia.
 Pela manhã ao acordar,  já se sente o frio de serra, umas vezes acompanhado da chuva miudinha, outras vezes pelos ventos fortes que despem as árvores  para pintalgar os passeios da rua em tons amarelados… Adoro quando estou por casa e posso contemplar esta paisagem tão bonita, enquanto um aprecio um chá quente e aromático. Há também um assador de castanhas ao fundo da rua que deixa a rua cheia de fumaça e com um odor a castanha assada irresistível…
Aproveita-se este tempo para se preparar algumas compotas, geleias e marmeladas que fazem as delícias destes dias mais frios que se avizinham.
Gosto tanto do tempo de outono, de poder caminhar sobre as folhas secas, apreciar o tingido de tons alaranjados que ficam pelas árvores. Num tempo em que se fala apenas de crise, num tempo em que talvez as pessoas têm de aprender a valorizar mais o que as rodeia e a tirar mais proveito do que a natureza e os dias lhes oferecem, vale a pena deixar aqui este pensamento de Oscar Wilde,"adoro os prazeres simples. São o derradeiro refúgio dos complexos". E sem pressas vou prosseguindo o meu destino, deixando-me fluir com a natureza e os ventos de mudança que o mês de
 novembro me proporciona e com isso espero poder estar mais presente aqui neste meu refúgio