segunda-feira, dezembro 30, 2013

Rever 2013


Tal como já disse anteriormente neste post aqui, os últimos dias de dezembro decrescem a um ritmo acelerado. É hora de fazer um balanço do ano que decorre e que não tarda está a terminar.
Há que contrabalançar o que de melhor tivemos com o que aprendemos das coisas menos boa que a vida nos impôs.
Perante todo este panorama mundial, a mim parece-me que tenho muito pelo qual devo estar grata! Tenho a minha família, da qual temos um rebento lindo e maravilhoso, tenho um teto que embora alugado, é nosso, tenho o meu trabalho e tenho tido saúde, e todo o resto vem por acréscimo.
Este ano tentei mover-me por uma vida mais minimalista, responsável e ecológica. Fazendo um balanço, houve muita coisa que consegui mudar, como o consumismo desenfreado e sem limites,apreciar mais o essencial em prol do que é supérfluo e banal...
Houve muito que consegui fazer, sempre pautada pelos meus objetivos pessoais, contudo sinto que ainda há muito para destralhar tanto fisicamente no meu espaço habitacional como a nível mental. Por isso, o minimalismo será algo para ser levado ainda mais a sério no próximo ano que se avizinha. Também não tenho o pretensiosismo de o levar ao extremo, mas antes na medida que me enche as medidas. Tenho presente que o meu minimalismo será envolto de um grande destralhamento. Tenho mesmo de o voltar a fazer! Será importante talvez em jeito de primeiro passo, fazer algo como que uma "desintoxicação emocional" com a premissa de que "quem muda Deus ajuda". Posso dizer que emocionalmente sou muita agarrada aos meus pertences materiais, uns porque trazem histórias, memórias envoltas que pretendo manter vivas, outros pelo que me custaram a ser conquistados e outros simplesmente porque sim...  gosto tanto deles e embora saiba de que não me servem para nada não consigo desfazer-me deles...
Contudo é imperioso colocar a mim mesma um basta! Vai ser uma batalha dura de travar, mas da qual pretendo sair vitoriosa. Com tudo isto pretendo alcançar mais tempo para mim e para os meus, para além de querer viver mais livre do sufoco de ter sempre tanto para organizar, arrumar e fazer.
Para quem quer tentar enveredar pelos caminhos do minimalismo aconselho a ler este artigo do JN para ter algumas noções, depois basta apenas sentar-se e repensar num toque pessoal aquilo que pretende destralhar minimalizar, será ainda útil ler este ebook também.
Termino este meu ano com votos de um Feliz Ano Novo para todos que me lêem e que o ano de 2014 seja uma jornada de boas mudanças!
Algumas fotos de 2013





























sexta-feira, dezembro 27, 2013

Reflexão: que 2014 seja um ano de mudança

O Natal passou e quer queira quer não, nestes últimos dias que antecedem a chegada do novo ano digamos que entro em modo de reflexão e introspeção. Faço uma revisão geral do meu ano em todos os campos: pessoal, familiar, trabalho, social, projetos, financeiro... tiro as minhas próprias ilações, e aprendizagens, revejo a necessidade de mudanças a operar, projetos a definir, e outros a dar continuidade.
Por necessidade intrínseca, espero que 2014 seja um ano de mudança em variadíssimos campos.
Pretendo aprofundar o minimalismo ainda mais, voltar a ter tempo para projetos anteriormente recomeçados, quero dar a mim mesmo mais tempo como mãe e mulher.


“Quando as mulheres adormecidas acordam, as montanhas movem-se”
  Provérbio Chinê
 Há determinados aspetos que quero ser ou pelo menos tentar ser um pouco mais disciplinada, pois só assim é que conseguirei ter os resultados pretendidos. 
Vou voltar a escrever a minha lista de intenções para 2014. 
Já tenho uma agenda nova para o ano que se avizinha e as minhas to do list preparadas.
Agora tenho apenas de focalizar-me na mudança que quero operar.
Tenho consciência que os dias não são todos iguais, que não sempre felizes e repletos de coisas boas... Sei, no entanto, que é dos maus momentos que retiramos sempre que possível as melhores lições daí quero que os meus dias se tornem mais felizes e radiosos...

quinta-feira, dezembro 26, 2013

Do Natal...

Pouco tempo e excesso de trabalho!
Só me permitiram vir agora a este meu cantinho.


Eu gosto muito do Natal!
O "meu Natal" nada tem haver com o desenfreado consumismo que se tem assistido, mas que acredito que de certo modo tem vindo a diminuir... e ainda bem!
O Natal tem algo de mágico e de encantado...
Do Natal que já passou ficam-me na memória as minhas lembranças de infância e outras que tentei recriar para que ficassem na memória do T.
Este ano não senti o cheiro intenso a canela e limão que invadia a cozinha dos doces de Natal, simplesmente porque não fui eu que  os preparei  com grande pena minha, assim como houve um outro montão de coisas que gostaria de ter feito e infelizmente me pareceram predestinadas a não serem feitas...
 O Natal foi um bocadinho diferente daquilo que eu esperava, apesar de estarmos em família e todos de saúde, mas há hábitos criados que se transformaram em tradições e quando estas não se concretizam parece não ser a mesma coisa... Mas para o ano haverá mais!!!
Ficou-me na lembrança o sorriso de uma criança feliz  que ao ver a ceia de Natal ser consumada à luz das velas achou que ficava bem cantar os parabéns, os olhos brilhantes por receber os presentes das mãos DO Pai Natal e o carro dos bombeiros, porque este menino tem uma paixão enorme por carros de bombeiros... ah e quase me esquecia ganhou também um novo amiguinho, uma tarruga, que é como quem diz tartaruga.

E o que não pode faltar nos presentes de Natal...

... são livros!

 E este achei-o tão especial, já que fala de todas essas pequenas coisas que nos ajudam a ser felizes no dia-a-dia. São coisas simples como as cores do arco-íris, as comidas mais gulosas que conheces, alguma adrenalina de uma montanha-russa e o resultado é relembrar momentos tão bons quanto a chegada da primavera, o prazer de cantar no carro com os pais, de criar bichinhos-da-seda e de andar à chuva e do aconchego e cheiro dos lençóis quando nos deitamos na cama.


Dá vontade de acrescentar mais algumas páginas com coisas simples que nos fazem felizes também. Quiçá um projeto futuro para realizarmos os dois.

sexta-feira, dezembro 06, 2013

A contar os dias...


Chegou dezembro e com ele vamos contando os dias através do nosso calendário de advento.
Foi planeado em saquinhos de papel, daqueles que se vendem nas padarias, ao qual juntei algumas ilustrações e uma molinha com um recorte de papel craft com o número correspondente.
Inicialmente estava a pensar em pendurá-los, mas depois desisti da ideia e coloquei-os a todos num cestinho e diariamente vamos retirando o saco correspondente que é colocado no pinheiro de Natal.  Foram pensadas algumas atividades que fossem passiveis de realizar em família e atendendo a idade do T. Digamos que ele anda entusiasmadissimo.

E apesar do ritmo acelarado em que os dias correm, deixamo-nos levar pela verdadeira magia do que é o Natal, o estarmos juntos!