quarta-feira, março 08, 2006

Música com livros, dois em um!

Como ontem não pude vir colocar aqui o meu post com a minha referência à música, hoje a proveito e faço o chamado dois em um!


Iniciando pela música, hoje quero contemplar uma artista bem portuguesa e a qual marcou já muito a minha vida!
Esteve presente especialmente em bons momentos da minha vida e ajudou-me a reflectir e a tomar decisões bem complicadas, mas que até hoje julgo as mais acertadas!
Por isso aqui fica Mafalda Veiga e o seu albúm - Tatuagens

A imagem “http://www.valentim.pt/upload/Valentim/edicoes/albuns/pp013.jpg” contém erros e não pode ser exibida.
Esta é uma noite para me lembrar
Que há qualquer coisa infinita como o firmamento
Um sorriso, um abraço
Que transcende o tempo
E ter medo como dantes
De acordar a meio da noite
A precisar de um regaço

http://www.mafaldaveiga.com/

O meu livro
Desta vez poesia! E poesia em português!

Flobela Espanca

A imagem “http://www.astormentas.com/media/Florbela%20Espanca.jpg” contém erros e não pode ser exibida.

e as suas maravilhosas poesias
Aqui fica duas poesias que aprecio bastante:

A uma rapariga

A Nice

Abre os olhos e encara a vida! A sina
Tem que cumprir-se! Alarga os horizontes!
Por sobre lamaçais alteia pontes
Com tuas mãos preciosas de menina.

Nessa estrada de vida que fascina
Caminha sempre em frente, além dos montes!
Morde os frutos a rir! Bebe nas fontes!
Beija aqueles que a sorte te destina!

Trata por tu a mais longínqua estrela,
Escava com as mãos a própria cova
E depois, a sorrir, deita-te nela!

Que as mãos da terra façam, com amor,
Da graça do teu corpo, esguia e nova,
Surgir à luz a haste de uma flor!...

****

Amar!

Florbela Espanca

Eu quero amar, amar perdidamente!
Amar só por amar: aqui... além...
Mais Este e Aquele, o Outro e toda a gente...
Amar! Amar! E não amar ninguém!

Recordar? Esquecer? Indiferente!...
Prender ou desprender? É mal? É bem?
Quem disser que se pode amar alguém
Durante a vida inteira é porque mente!

Há uma primavera em cada vida:
É preciso cantá-la assim florida,
Pois se Deus nos deu voz, foi pra cantar!

E se um dia hei-de ser pó, cinza e nada
Que seja a minha noite uma alvorada,
Que me saiba perder... pra me encontrar...

3 comentários:

Camarelli disse...

Florbela Espanca, boa escolha! :)

Vanessa disse...

"...amar-te assim perdidamente..." gosto muito :)

Anónimo disse...

Mafalda veiga... ai amiga que bons velhos tempos na herdade das santas :D esse album deixou tatuagens em mim também.

2018: 365 novas oportunidades

E assim de repente, apeteceu-me simplesmente voltar...